Artrose do joelho: saiba as principais causas!

Artrose do joelho é uma doença que leva ao desgaste da cartilagem do joelho, que é uma película de proteção que envolve as extremidades dos ossos do fêmur (osso da coxa) e da tíbia (osso da perna) e a patela (osso da região frontal do joelho), que fazem parte da região que compõe a articulação do joelho.

A artrose do joelho tem relação com o próprio processo normal de envelhecimento do nosso corpo, mas alguns fatores aumentam da chance disso acontecer com seu joelho. Entender como essa doença acontece e progride pode nos ajudar a prevenir essa doença, por isso nesse artigo eu vou mostrar quais são outros fatores relacionados com aumento da chance da artrose do joelho acontecer.

Quais fatores aumentam a chance de Artrose do joelho?

Podemos dividir as causas da artrose do joelho em 2 grupos: causas relacionadas à fatores de risco não modificáveis e os modificáveis. Os fatores de risco da artrose do joelho que não conseguimos modificar ou prevenir são: idade > 50 anos, sexo feminino, tendência genética (famílias com muitos membros com artrose). E existem também outros fatores de risco que são modificáveis ou controláveis que também podem levar a um risco aumentado de desgaste nos joelhos. Vamos à eles:

– Obesidade: chance de artrose do joelho aumenta em 30,3% durante a vida de pacientes obesos em relação a não obesos (Murphy 2008).

– Lesão prévia no joelho: após fraturas, lesões meniscais e ligamentares (sobretudo lesão do LCA).

– Mal alinhamento dos joelhos: joelhos em varo (“torto para fora”) e valgo (para dentro).

– Sedentarismo?? Sim.. A inatividade física, em particular levando a atrofia da musculatura do quadríceps (musculo da frente da coxa) está correlacionada com artrose do joelho, segundo estudos (Ross 2016; Oiestad 2020).

E a corrida? Pode levar a artrose?

Está aí uma pergunta bastante polêmica. Mas vou tentar ajudar você chegar a uma conclusão. Ainda não existe forte comprovação cientifica do papel da corrida na artrose do joelho. Porém, os estudos que existem parecem mostrar cada vez mais que a corrida:

  • Diminui os sintomas de dor relacionados à artrose do joelho. Ou seja, tudo indica que correr é melhor do que ficar parado em relação à artrose do joelho.
  • Pode ser dose-dependente em relação à artrose. Corrida de baixa intensidade e programas supervisionados parecem proteger da artrose, enquanto que as de alta intensidade (longas distâncias e forte intensidade) podem aumentar risco de artrose.

 

Em relação à essa última afirmação, ainda falta definir melhor o que é alta ou baixa intensidade em corrida, além do papel do fortalecimento muscular como protetor da articulação do joelho dentro de cada um desses níveis de atividade.

 

De qualquer maneira, fica fácil perceber que muitos desses fatores que causam artrose estão sob nosso controle e que muitas escolhas que fazemos ao longo da vida influenciam em muito na nossa qualidade de vida no longo prazo.

 

A medicina do presente e do futuro é a preventiva. Vamos ficar ligados nisso. Em outros posts vou falar de outros fatores que sido muito estudados e que podem influenciar no desenvolvimento e progressão de artrose no joelho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe essa informação!