DOR ATRÁS DO JOELHO ? PODE SER CISTO DE BAKER!

O que é o Cisto de Baker?

Cisto de Baker é uma condição que pode causar DOR E AUMENTO DE VOLUME na parte de trás do joelho!  É uma queixa extremamente frequente !

Muitas vezes, o cisto de Baker pode deixar as pessoas bastante preocupadas.  Isso porque o termo “cisto” pode trazer uma idéia de que pode ser algo mais sério ou uma doença mais complicada.

Antes de mais nada, é importante entender que essa alteração não é algo preocupante. Aliás, muitas vezes é encontrado por achado de exame, ou seja, achado por acaso na investigação de algum outro diagnóstico.

Agora, vamos entender melhor do que se trata esse tal do Cisto de Baker. Antes de mais nada é importante lembrar que dentro das articulações, assim como nos joelhos, temos uma fina camada de líquido, o líquido sinovial. Esse líquido pode aumentar em quantidade a depender de alguma doença ou lesão que se desenvolva no joelho.

Em algumas pessoas, esse aumento de líquido pode ser direcionado para parte de trás do joelho. Como consequência, há um acúmulo do líquido, formando o cisto de Baker.  Em suma, o cisto de baker nada mais é que a consequência de algum outro problema de dentro da articulação do joelho e que está levando ao aumento do líquido sinovial.

Sendo assim, o cisto de Baker pode aumentar de tamanha devido a um fluxo unidirecional de dentro para fora da articulação. Dessa maneira, o líquido fica “preso” na parte de trás do joelho pois, devido a um mecanismo de válvula, ele não consegue voltar para dentro da articulação.

Qual a causa e os sintomas do Cisto de Baker?

Como falado anteriormente, o cisto de Baker está relacionado a alguma doença ou lesão de dentro da articulação do joelho. Sendo assim, as lesões mais frequentemente relacionadas ao cisto de Baker são:

  1. Lesões dos meniscos (até 82% de associação) 
  2. Lesões da cartilagem do joelho (por volta de 30% de associação).

 

Mais comumente, o sintoma do cisto de Baker é dor e aumento de volume que podemos palpar na parte de trás do joelho. Outra situação menos frequente, é um quadro de dor e inchaço que se desenvolve repentinamente na parte de trás do joelho e da perna. Nesse caso, o diagnóstico é a ruptura do cisto de Baker.

Como consequência da ruptura do cisto de Baker, o cisto estoura e o líquido de dentro dele extravasa aumentando o volume da panturrilha. Isso causa inchaço e dor que se espalha por toda a musculatura da região de trás da perna. Desse modo, a ruptura do cisto de Baker lembra muito uma trombose venosa profunda da perna!  Porém, felizmente não é algo grave e regride espontaneamente com alguns cuidados simples como elevação da perna e repouso.

E qual é o tratamento do Cisto de Baker?

Raramente, o cisto de Baker precisa ser retirado com cirurgia. Isso porque, na maioria das vezes ele regride conforme o tratamento da lesão ou doença que leva à sua formação. Ou seja, se a causa do cisto de Baker é uma lesão do menisco, após o tratamento do menisco (com ou sem cirurgia), o cisto regride ou diminui consideravelmente de tamanho. Dessa maneira, ele deixa de causar sintomas.

Por outro lado, por raras vezes,  o cisto de Baker persiste mesmo como o tratamento da sua causa de base. Sendo assim, ele pode continuar causando sintomas de dor na parte de trás do joelho. Nessa caso, podemos indicar a retirada do liquido como uma seringa e agulha (punção) + infiltração com corticóide dentro do cisto.

Mais raro ainda, pode ser necessário uma cirurgia para tratar o Cisto de Baker. Esse é o caso, quando todos os outros tratamentos realizados já falharam e o paciente mantém a queixa de dor e desconforto na parte de trás do joelho. Nesse caso, indicamos a retirada do cisto de Baker através de cirurgia. Sendo assim, a cirurgia pode ser feita por via aberta ou também por artroscopia (cirurgia por vídeo). É importante lembrar que na cirurgia, é muito importante fechar a válvula de comunicação do cisto com a articulação para evitar que o problema volte.

Enfim, espero que tenham gostado do conteúdo! Fico à disposição para dúvidas e comentários!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe essa informação!