Lesão Parcial do Ligamento Cruzado Anterior

PRINCIPAIS LESÕES

Sobre a Lesão

As lesões do Ligamento Cruzado Anterior podem ser completas, quando existe uma total descontinuidade de sua estrutura em algum ponto desde a inserção na tíbia até a sua fixação no fêmur ou podem ser lesões parciais, quando mesmo após a ruptura do ligamento, parte de sua estrutura mantém-se integra.

Tratamento de Reconstrução

Quando houver uma lesão parcial ou incompleta do Ligamento Cruzado Anterior, nem sempre a indicação de tratamento será cirúrgica. Isso porque muitas vezes o remanescente (o que sobra do ligamento, às vezes com alguma função) é suficiente para manter a estabilidade do joelho do paciente. Existem diversas maneiras para se avaliar se este remanescente será eficaz, entre os quais os mais importantes são:

– Ausência de sintomas de instabilidade
– Manobras clínicas pouco alteradas
– Medição pelo artrômetro (instrumento que mede estabilidade do joelho em milímetros) mostrando uma diferença de estabilidade
– Pequena em relação ao joelho normal.

Se após levado em consideração esses fatores, houver indicação de cirurgia de Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior, a técnica cirúrgica mantém-se a mesma com a diferença de que o remanescente do ligamento é preservado pois acredita-se que o mesmo auxiliará na vascularização e inervação do enxerto reconstruído possivelmente melhorando os resultados. Essa técnica é chamada de Reconstrução biológica do Ligamento Cruzado Anterior proposta pelo cirurgião de joelho francês Bertrand Sonnery-Cottet. Em resumo, essa técnica permite a realização dos túneis do fêmur e da tíbia sem que seja danificado o remanescente do ligamento. Além disso, o enxerto é trazido para sua posição definitiva de forma que ele fique posicionado por dentro e envolvido pelo remanescente do Ligamento Cruzado Anterior.

O vídeo mostra como é preparado o túnel da tíbia com a presença do ligamento